Colégio ESPÍRITO SANTO

Canoas/RS

NOTÍCIAS

05/07/2018

Projeto Consciência Cidadã é nova proposta no CES

Como lidar diante de situações em que o compartilhamento de imagens com conotação sexual nas redes sociais é facilmente propagado? Foi buscando uma resposta ativa para este questionamento que os Serviços de Orientação Escolar e de Psicologia Escolar do Colégio Espírito Santo criaram o projeto Consciência Cidadã. A iniciativa quer levar os alunos do Ensino Fundamental II e do Ensino Médio a refletirem sobre condutas e comportamentos tanto no ambiente real, quanto no virtual, mostrando as implicações que uma publicação pode causar na vida deles e de outras pessoas.

No primeiro encontro, um grupo de estudantes da turma 103 elaborou uma apresentação inicial, abordando as definições de ética, assédio moral e assédio sexual. Os alunos explicaram que os casos de assédios moral e sexual são caracterizados por ocorrer em ambiente de trabalho, em razão da subordinação hierárquica entre os envolvidos. Também trouxeram, como exemplo, matéria exibida no programa Fantástico sobre a repercussão de vídeos de torcedores brasileiros que constrangeram mulheres de diferentes nacionalidades durante a Copa do Mundo na Rússia.

Na sequência, um bate-papo com o advogado Vinícius de Azambuja Machado trouxe mais esclarecimentos sobre estes temas. Ex-aluno do CES, formado em Direito pela UniRitter, Vinícius estagiou por dois anos na área de Infância e Juventude do Ministério Público. Desta experiência profissional, ele relatou um caso em que um jovem de 17 anos compartilhou imagens íntimas da namorada após o término do namoro. A medida imposta para este jovem, inicialmente, foi a prestação de serviços à comunidade por período de três meses. Porém, como repetiu a divulgação, foi tomada uma medida mais severa: a internação na Fundação de Atendimento Sócio-Educativo (Fase-RS)) por cinco meses. "O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) protege o menor que é vítima, mas também prevê medidas para o menor infrator. As consequências são graves e podem estragar a vida, tanto da vítima, quanto do agressor", argumentou o advogado.

Vinícius alertou ainda que o simples fato de armazenar imagens com conotação sexual, no celular, já configura crime de pornografia infantil, caso as fotos sejam de menores de 18 anos: "Só por estar em um grupo que troca este tipo de mensagem já compromete a pessoa que recebeu o conteúdo impróprio. O melhor a fazer é não salvar estas imagens e sair do grupo. A vida real e a vida virtual, como é o caso do Whatsapp, não ficam impunes. Conversas telefônicas e em aplicativos podem ter quebra de sigilo em caso de investigação", salientou.

Todos os alunos ficaram bastante impressionados com as consequências que uma troca de mensagens com conteúdo impróprio pode causar. Eles acharam importante trazer um profissional da área do Direito para falar deste assunto e sugeriram que a palestra também possa ser estendida a pais, para que também tenham estes esclarecimentos.


ENDEREÇO
Rua Tamoio, 3393
Nossa Senhora das Graças
CEP 92120-002
ALÔ, CES!
(51) 3472-1502
(51) 3472-1722
secretaria@ces.g12.br
DIREÇÃO
Irmãs Missionárias
Servas do Espírito Santo
www.mssps.org.br
Todos os direitos © 2016 |
Colégio Espírito Santo |
Canoas/RS